Banco Comunitário Kiri Kere debate implantação da moeda e-dinheiro

0
184

Nesta terça e quarta-feira, dias 08 e 09, o Banco de Economia Solidária Kiri Kere, que está funcionando no bairro Rúbia, em parceria com a Associação de Moradores do bairro, estará recebendo a visita da Presidente da Rede Desenvolver e Rede Capixaba de Bancos Comunitários, Leonora Michelin Laboissiere Mol, e a Agente de crédito do Banco Bem, Geisiele Cassilhas dos Santos.

Durante a visita, estará em debate, dentre outras ações, o uso da plataforma e implantação da moeda eletrônica e-dinheiro pelo Banco Kiri Kere. Nesta terça-feira, as Agentes de Crédito Geisiele Cassilhas e Bruna Mariano Carvalho, acompanhadas do Presidente da Agronova, Otamir Carloni, estarão visitando alguns estabelecimentos comerciais do bairro Rúbia e entorno para apresentação da plataforma e da moeda.

A moeda social Kiri Kere e-dinheiro funcionará em qualquer telefone celular, tendo ou não acesso a internet, sem restrição de operadora. Basta se cadastrar via rede celular, selecionar seus contatos para enviar ou receber dinheiro, e começar a operar, imediatamente, sem burocracia. Além de transferir valores para seus contatos, outra função do aplicativo é servir como meio de pagamentos em estabelecimentos conveniados e entre fornecedores de produtos ou serviços. Simplificando, a moeda social será uma espécie de cartão de crédito via celular.

Já na quarta feira, a Presidente da Rede Capixaba de Bancos Comunitários participará de uma reunião na Prefeitura de Nova Venécia, onde apresentará o projeto. Depois do evento, ela se reunirá com os membros do comitê gestor do Banco Kiri Kere. Por fim, às 19h, na sede da Rádio Futura FM, acontecerá uma reunião com lideranças locais, empreendedores e empresários. Todos estão convidados para conhecer melhor a moeda e-dinheiro.

O Banco Comunitário Kiri Kere tem como gestor a Associação de Agroturismo e Agroindústria Nova Venécia (Agronova), presidida por Otamir Carloni. O projeto do banco Comunitário ainda conta com o apoio da Agência de Desenvolvimento das Micros e Pequenas Empreas e do Empreendedorismo (Aderes), a Associação de Moradores do Bairro Rúbia (AMBRU), Associação Atelier de Ideias e Rede Capixaba de Bancos Comunitários.

Para Carloni, esta junção de esforços tem sido determinante para que essa importante ferramenta de inclusão social, através das finanças solidárias, esteja funcionando em Nova Venécia.

Compartilhar

Deixe uma resposta

*