Comida artesanal

0
222

A reportagem deste sábado (28), vai para quem aprecia comida produzida na região veneciana, e para quem também faz questão de bom gosto à mesa. Aqui, tudo é caseiro, sem industrializados

Tudo feito em casa, tem um gostinho a mais. Comida caseira remete-se ao sabor do fogão da vovó, da casa cheia de crianças na infância, com aqueles pratos saborosos. A gastronomia é uma espécie de raio x de quem a consome. A comida é uma grande reveladora do seu estilo de vida e do que o ser humano é.

Pensando e dar uma pausa nos industrializados, a culinária veneciana cresceu e vem trazendo opções para vários gostos. Os produtos fabricados em casa, sem nem ao menos uma cozinha industrial, revelam que Nova Venécia conserva raízes na culinária natural.

Com a preocupação de preservar sabores, o Lorrhan Cesconetto, 21 anos, montou em sua casa, uma charcutaria artesanal. Deu início ao seu negócio há cinco anos, que foi quando começou a produzir linguiças caseiras. Buscando entrar no mercado informal, e conectado às mudanças, Lorrhan introduziu a linha gourmet em seu empreendimento e hoje, é sinônimo de sucesso para quem já experimentou seus produtos. Na linha de linguiça gourmet, tem as opções recheada com tomate seco, jiló, abobrinha, queijo, bacon, azeitona, cheiro verde, e por aí vai!

A charcutaria traz também os defumados de porco: costelinha, lombo, bacon e pé. Tem presunto cozido, tender, frango defumado e hambúrguer caseiro. Aos apreciadores de codeguim e as deliciosas pimentas de cheiro, as alternativas também se encontram no cardápio. Outro diferencial é que a encomenda é entregue em casa, tendo a opção de comprar em porções de 500 gramas. “Não utilizo corantes e nem saborizantes artificiais. Todos meus produtos são feitos de carnes nobres, sem uso de retalhos, nem nervos, e nada industrial”, diz Lorrhan.

Os produtos são vendidos a partir de R$ 9. Encomendas: 99709-3735.


O tradicional com uma pitada a mais

A Júlia Guasti já trabalhou com muitos tipos de comida, tudo em casa. Dessa vez não está sendo diferente. A doceira teve a ideia de resgatar um doce que a maioria das pessoas gostam para completar as festas, mas que pouca gente ainda faz: as balinhas de coco.

Tudo começou com as encomendas das tradicionais. O negócio foi tendo uma proporção tão grande, que a Júlia, decidiu inovar. Ao invés de fazer as branquinhas daquele jeito antigo, ela adicionou outros sabores. Hoje, a doceira fabrica os pedidos com recheio de nutella, chocolate, damasco, brigadeiro, limão siciliano, café, cacau, amendoim e beijinho. Uma das novidades ainda é o charutinho e o pirulito, também com recheios opcionais. O negócio tem atraído as crianças e os adultos, até mesmo pelo capricho da Júlia, que entrega tudo em sacolinhas personalizadas, é um verdadeiro amor unido a arte de cozinhar. Encomendas: 99610-4567 (R$ 5 o pacote com 100g).

Charutinho de bala de coco, recheado de damasco
» Bala de coco recheada com nutella e brigadeiro

Cocadas de frutas tropicais

Chegar em um aniversário e encontrar aquelas cocadinhas em potes estilosos, dá um up a qualquer mesa de guloseimas. As  frutas tropicais nunca saem de moda e a Ilizete Falquetto Guidi é especialista no assunto. Das mãos da doceira saem cocadas de cacau, goiaba, abacaxi, acerola, figo e tantas outras frutas a mais, indo até a opção da tradicional.

Morando no interior do município, no Córrego da Lagoa, Ilizete produz “delicatesses”, que são as queridinhos dos casamentos, como o mamão costurado, doces cristalizados, e em pasta, para comer com colher. Outro diferencial  fabricado pela doceira é o figo cristalizado com beijinho dentro,  em formato de bombom. Tudo de muito sabor e feito com segredos irreveláveis. Encomendas: 99950-1574 (R$ 18/kg).

Rolinhos de mamão costurados
Cocadinhas e figo cristalizado com beijinho dentro da dona Ilizete
Compartilhar

Deixe uma resposta

*