Da vida no campo para presidência da Câmara

0
185

De família humilde, Juarez Oliosi, 52 anos, seguiu na contramão do que seria seu destino. Ao invés de se contentar com o que a vida o oferecia, o morador de Cristalina arregaçou as mangas e do anonimato, hoje é o presidente da Câmara de Nova Venécia. Para quem já passou muita necessidade, as conquistas evidenciam que a fé, sempre o levou aonde ele sempre sonhou em chegar.


Juarez Oliosi tem 52 anos, é casado há 18 anos com a lavradora Mauvirete Lima Oliosi, 44, e tem dois filhos, a Natália e o Arthur. Eleito vereador por quatro mandatos, o atual presidente da Câmara de Nova Venécia, teve tudo para seguir outros caminhos que não fossem na política.

Tendo como uma de suas paixões o exercício da profissão de agricultor, já aos sete anos de idade, o menino iniciou no ofício, junto com seus pais. Mesmo com pouca idade, ao chegar da escola, era uma enxada que o esperava.

A casa, com 10 irmãos, tinha apenas o básico para comer, tanto que o menino chegava da escola na hora do almoço, sem ainda ter feito nenhuma refeição no dia. De acordo com o vereador, na escola não tinha merenda e nem transporte escolar, era a pé que o garoto percorria os 10 km de ida e volta.

Com a infância pobre, Oliosi estudou até a antiga sexta série do Ensino Fundamental em Cristalina, vindo a terminar o Ensino Médio, somente na época em que já era vereador. Brinquedos comprados em loja, ele conta que nunca teve e nem nunca tinha visto.

Com o tempo, o filho do seu Geraldo Oliosi e da dona Maria da Penha Cesconetto Oliosi, aprendeu outras profissões, até chegar onde está hoje. Confira a entrevista concedida ao Jornal A Notícia.


Infância e vida no campo

“A vida hoje em dia é muito fácil, a praticidade e a evolução preencheram o espaço que era de luta antigamente. Estudei muito pouco, mas aprendi demais com a vida. Comecei a trabalhar na enxada aos sete anos de idade, eu chegava da escola sem um grão de comida no estômago. Para ir e voltar da escola, era tudo a pé e no sol quente, não tinha esse negócio de mochila não, era numa sacola de plástico que eu levava os cadernos. Merenda não tinha no colégio, tinha que estudar com fome mesmo, só íamos comer na hora do almoço em casa e tinha que dividir a comida com os 10 irmãos. Nós nunca tivemos um brinquedo comprado em loja, muitos eram feitos por nós com o que tinha na roça. Usei muito os carretéis de linha da minha mãe, a gente fazia os carrinhos. Só podia brincar aos domingos, depois da Missa, pois durante a semana era o estudo de manhã e a enxada à tarde”.


Profissões

“Aos 15 anos, aprendi a profissão de marceneiro e de pedreiro, com o senhor Fernandes de Sá, mais conhecido como Fernandão (já falecido), desde então fui me aprimorando em outras profissões como motorista, eletricista, pintor, soldador, montador de granito e mármore e sempre dando continuidade como agricultor”.


Liderança na comunidade

“Com 23 anos, em 1990 me casei e assumi a presidência do time de futebol de Cristalina, por quatro anos. Cinco anos depois, fui coordenador lá da igreja Católica Nossa Senhora da Penha por dois anos, e em seguida, fui líder comunitário da comunidade”.


Oswaldo Secchin

“Para iniciar na política, tive o total apoio da família do meu grande amigo e ex-vereador, Oswaldo Secchin, homem honrado, honesto e de quem me espelho e tenho muito orgulho. Seus familiares, lideranças e amigos deste município me apoiaram e me candidatei a vereador pelo partido do PSB, sendo eleito com 521 votos, em 2004. Dando sequência as eleições que vieram, em 2008 fui reeleito com 636 votos, em 2012 com 909 votos e em 2016 com 972 votos, ficando como segundo mais votado da cidade. Esse ano marcou muito para mim, meu pai faleceu, foi um ano de muita luta e que deixou muitas lembranças”.


Trajetória no legislativo

“Durante o período em que atuo como vereador, no primeiro mandato fui eleito o 1º secretário da Mesa Diretora, pelo período de 2005 a 2006. Em 2015 a 2016, fui vice-presidente da Câmara. Já em 2017 e 2018 fui presidente da Comissão de Finanças e no dia 04 de dezembro de 2018, fui eleito o presidente da Câmara, para atuar no biênio de 2019-2020”.


Prêmios

“Fui premiado durante meus mandatos por duas vezes com o Título de “Vereador Mais Atuante” entre os primeiros homenageados do Estado, pelo Instituto Tiradentes e pelo Instituto Cidadania, ambos de Minas Gerais. Fui agraciado em 2016 também pelo Instituto Tiradentes, com a “Medalha Tiradentes: Mérito Eleitoral” pela reeleição, fato que provou o compromisso assumido junto à sociedade”.


Agradecimentos

“Tendo em vista minha trajetória de vida, hoje tenho orgulho da minha criação e sou grato a Deus em primeiro lugar, também à minha família, aos amigos que fiz ao longo desse tempo e a todos que acreditaram e acreditam em mim. De uma coisa eu sei e levo comigo: se não fosse levado em conta as dificuldades que passei, os conselhos que ouvi e as ajudas que tive, eu não teria chegado até aqui. Meu muito obrigado a todos”.

Compartilhar

Deixe uma resposta

*