Espírito Santo inicia os trabalhos para implantação do desenvolvimento das habilidades emocionais no currículo das escolas públicas

0
287

Com escolas mais preparadas para desenvolver estudantes capazes de atuar com autonomia no século 21. O Espírito Santo planeja ser um dos primeiros estados brasileiros a incorporar o desenvolvimento socioemocional de forma estruturada na rotina da sala de aula. Para isso, a Secretaria de Estado da Educação (Sedu) firmou uma parceria inédita com o Instituto Ayrton Senna para promover essa incorporação à política educacional na rede pública de ensino do Estado.

Nesta segunda-feira (04), o Instituto Ayrton Senna realizou uma oficina com os técnicos da Sedu para elaboração de um primeiro documento que apoie e direcione a definição do currículo de competências gerais do estado do Espírito Santo futuramente.

“Hoje estamos dando sequência, na prática, ao acordo firmado com o Instituto Ayrton Senna. Precisamos adotar um currículo que incorpore as competências socioemocionais para o século 21. É um desafio grande para darmos um passo a frente na educação capixaba. O desenvolvimento dessas competências é algo fundamental a ser feito. As escolas ganharão uma nova dinâmica perante a sociedade e, principalmente, aos jovens”, destaca o secretário de Estado da Educação, Haroldo Rocha.

Para o economista-chefe do Instituto Ayrton Senna e professor do Insper Ricardo Paes de Barros, é preciso formular ações bem fundamentadas para ir além da transmissão tradicional de conteúdos. “O Espírito Santo está começando a elaborar um currículo que irá incorporar a educação emocional nas suas escolas. Competências como empatia, escuta ativa, autoconhecimento, dentre outras, além de estimular características como a curiosidade, a criatividade e a persistência será um grande avanço para a educação”.

A educação socioemocional é parte indispensável da educação não somente para compromissos internacionais, mas também na legislação brasileira, sendo contemplada, inclusive, na Base Nacional Curricular Comum.

As competências socioemocionais incluem um conjunto de habilidades como responsabilidade, colaboração e resiliência, entre diversas outras, importantes para que os estudantes saibam lidar melhor com suas emoções, relacionar-se com os outros e alcançar objetivos na vida. Diversos estudos indicam que o desenvolvimento dessas habilidades pela escola são um importante caminho para impulsionar os resultados escolares e, ao mesmo tempo, promover as aprendizagens necessárias para enfrentar as complexidades do século 21, formando crianças e jovens mais protagonistas e bem preparados para explorarem seus potenciais, se inserirem plenamente no mundo do trabalho, da cidadania e das relações sociais.

Por isso, o Governo do Estado pretende incorporar a educação socioemocional à política educacional em sua rede pública de ensino, com a união de esforços e competências entre os parceiros, e o Instituto Ayrton Senna concederá o apoio técnico necessário para a execução do projeto, aportando seu conhecimento de forma a facilitar o cumprimento das demandas, indicando as metodologias que serão adotadas e como garantir que os professores tenham a formação adequada.

Com uma longa trajetória de produção de conhecimento e experiência no desenvolvimento das competências socioemocionais para a promoção da educação integral no país, o Instituto Ayrton Senna há mais de dez anos vem formando gestores e educadores para que esses profissionais possam trabalhar com desenvolvimento dessas habilidades na sala de aula, em diferentes projetos construídos em parceria com diversas redes públicas brasileiras.

Compartilhar

Deixe uma resposta

*