Folia de Reis é tradição e fé

0
461
» Com representação católica marcante, o Folia de Reis do Bonfim retrata a beleza, através de cantigas, danças e instrumentos

O som das violas, acordeons e pandeiros começam a soar, envolto ao prazeroso ritmo que emite a muitos, ao tempo da infância, onde a tradição era mais praticada em Nova Venécia. Rezar, cantar e dançar em louvor ao nascimento de Jesus Cristo é uma prática de anos atrás na cidade, e que foi resgatada pelo grupo Folia de Reis Estrela do Senhor do Bonfim.
Com representação católica marcante, 44 integrantes do Folia de Reis do Bonfim retratam a beleza e a fé de uma cultura secular do povo brasileiro, através de apresentações.
Os adereços, o colorido das roupas e a alegria dos participantes remontam aos tempos das antigas fazendas, da época da chegada da manifestação, que veio de Portugal.
A tradição católica que remete à visita dos Três Reis Magos ao menino Jesus, é evidenciada através da musicalidade no grupo.
“Preferimos realizar somente a cantata, sem a presença das figuras dos animais. As crianças ficam com medo, e também, seria preciso mais homens em nosso grupo para se vestirem das figuras. Somos a maioria mulheres”, diz a fundadora e componente da Folia de Reis do Bonfim, Telma Pestana dos Santos, 64 anos.
De acordo dom Telma, os versos cantados também variam de apresentação ou local, mas um deles não pode faltar: o Folia de um Povo Rei, de Zé Vicente.
“Somos convidados por vários eventos, e onde chamam, nós vamos. São em média 14 músicas por apresentação, tudo com muita alegria, fé e devoção. Todos relatam que por onde passamos, o alto astral é contagiante”, fala.
Diz a lenda que quem recebe esses foliões é abençoado, o que vale dizer que está em graça com Deus. Para montar o grupo, que surgiu em 2010, cada integrante ficou responsável por confeccionar sua roupa. Os ensaios são sempre no Centro Comunitário do bairro.
“Não podemos esquecer de citar a nossa querida Tereza Tiburtino (In Memória), que já não está entre mais. Ela foi uma das pessoas que também idealizou e ajudou a montar esse grupo”, fala Telma.
A próxima apresentação do Folia de Reis Estrela do Senhor do Bonfim será domingo, 8, às 7h30, durante a Missa na igreja do Bonfim.
No grupo, a parte dos instrumentos fica por conta de Antônio Marques (violeiro), Geilson (tambor) e Bernadete (pandeiro).

Tradição
No dia 6 de janeiro comemora-se o Dia de Reis, que na tradição cristã, foi o dia em que os três reis magos levaram presentes a Jesus Cristo. Em homenagem aos reis magos, os católicos realizam a folia de reis, que se inicia em 24 de dezembro, véspera do nascimento de Jesus, indo até 6 de janeiro, dia em que encontraram o menino. A folia de reis é de origem portuguesa e foi trazida para o Brasil na época da colonização.
Durante os festejos, os grupos saem caminhando pelas ruas das cidades, levando as bênçãos do menino para as pessoas que os recebem. É tradição que as famílias ofereçam comidas aos integrantes do grupo, para que possam levar as bênçãos por todo o trajeto, que agradecem ao hospedeiro e seguem para o próximo destino.

“Meu padrasto cantava essas músicas desde quando eu era pequena, lembro disso. Morávamos às margens do Rio do Norte (Boa Esperança). Na igreja de lá tinham as festas do Padroeiro, e muita Folia de Reis. Era na igreja de Bom Jesus da Lapa, no Córrego do Ouro. Trago esta cultura religiosa comigo desde menina, é muito bonita” Maria D’Ájuda da Conceição Silvares, 86 anos - Integrante com maior idade do Folia de Reis Estrela do Senhor do Bonfim
“Meu padrasto cantava essas músicas desde quando eu era pequena, lembro disso. Morávamos às margens do Rio do Norte (Boa Esperança). Na igreja de lá tinham as festas do Padroeiro, e muita Folia de Reis. Era na igreja de Bom Jesus da Lapa, no Córrego do Ouro. Trago esta cultura religiosa comigo desde menina, é muito bonita”
Maria D’Ájuda da Conceição Silvares, 86 anos – Integrante com maior idade do Folia de Reis Estrela do Senhor do Bonfim
Compartilhar

Deixe uma resposta

*