Governo lança mutirões com 8.420 cirurgias eletivas de reconstrução mamária e nas áreas vascular e de ginecologia

0
37

O Governo do Estado anunciou, na tarde desta terça-feira (03), a realização de mutirões para tornar mais rápido o atendimento de quem está aguardando cirurgia eletiva (que não é de urgência) de reconstrução mamária e nas áreas vascular e de ginecologia. Por meio da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) serão ofertados, ao todo, 8.420 procedimentos cirúrgicos, com investimento total de R$ 14.664.667,64 feito pelo governo estadual com recursos próprios.

O governador Paulo Hartung ressaltou que o objetivo do Governo do Estado é zerar a fila de espera por cirurgias eletivas destas três especialidades, e também de oftalmologia, até o fim deste ano. “Estamos autorizando hoje mais de 8 mil procedimentos em mais de R$ 14 milhões em investimentos, e o credenciamento de instituições importantes em nosso Estado. O Sistema Único de Saúde, o SUS, é descentralizado, hierarquizado e depende de um entrosamento entre a União, Estados federados e municípios. Após a retirada da CPMF, a União tirou o time de campo, mas aqui no Espírito Santo o Estado e os municípios tiveram que ocupar os espaços e comprometer o orçamento. O SUS depende de integração. Eu estou feliz com a integração do Estado com os municípios. Por isso, conseguimos colocar de pé a Rede Cuidar em terras capixabas”, analisou Hartung.

O secretário de Estado da Saúde, Ricardo de Oliveira, informou que 13 hospitais atenderão os pacientes nos mutirões de reconstrução mamária e nas áreas vascular e de ginecologia. São eles: o Hospital Universitário Cassiano Antonio de Moraes (Hucam), que é federal, e 12 hospitais filantrópicos. Ele explicou que há hospitais filantrópicos localizados em diferentes regiões do Estado com capacidade para atender os pacientes nas especialidades que serão ofertadas, o que possibilitou descentralizar o atendimento para que a população tenha acesso aos serviços mais perto de casa.

“Na semana passada, lançamos o mutirão de oftalmologia em parceria com o Hospital Evangélico de Vila Velha. Hoje, estamos dando sequência a este trabalho lançando mais estes três mutirões. São filas únicas, que montamos no Estado, identificadas por cada município e inseridas no sistema de regulação. Estamos juntos, Estado e municípios, organizando as filas para dar transparência e agilidade ao atendimento de nossa população”, disse o secretário de Estado da Saúde.

A presidente do Conselho de Secretários Municipais de Saúde do Espírito Santo (Cosems-ES), Andréia Passamani, ressaltou o orgulho dos frutos que Estado e municípios capixabas têm colhido do trabalho em parceria. “A união entre o Estado e os municípios foi o que garantiu que o Espírito Santo fosse o único Estado da federação a executar a fila de cirurgias eletivas em 2017. Temos orgulho de dizer que executamos a fila no ano passado e com certeza vamos executar a fila deste ano”, enfatizou Passamani.

Os mutirões atenderão pessoas que já passaram por consultas e exames especializados e receberam encaminhamento para a cirurgia. Os pacientes serão comunicados pelo município sobre a data do agendamento da consulta de avaliação com o cirurgião do hospital prestador do serviço. Neste momento, o paciente que tiver exames realizados anteriormente poderá levar para que o médico analise e, se necessário, solicite exames complementares pré-operatórios, que serão ofertados também no mutirão.

Os pacientes que ainda não têm diagnóstico para seu caso de saúde devem seguir o fluxo do Sistema Único de Saúde (SUS) para ter acesso ao tratamento.  O cidadão deve ir até a unidade de saúde mais próxima de sua residência, ser avaliado pelo médico e encaminhado para o especialista. Após a avaliação do médico especialista, se for necessária cirurgia, o paciente será encaminhado para o hospital de referência para realização do procedimento.

Ginecologia e reconstrução mamária

Nestes mutirões serão ofertadas 4.492 cirurgias ginecológicas, com investimento de R$ 6.936.534,60, e 600 cirurgias de reconstrução mamária, com investimento de R$ 2.743.998,00. O objetivo é reduzir o tempo de espera das mulheres por estes procedimentos, melhorando assim a qualidade de vida dessas pessoas que são mães, esposas, trabalhadoras e que representam uma força importante na economia do estado.

Serão ofertadas as seguintes cirurgias ginecológicas: histerectomia total, para retirada do útero e do colo do útero; miomectomia, para remoção de miomas uterinos; colpoperineoplastia, para correção de defeitos sintomáticos da parede posterior da vagina e defeitos do corpo perineal; e salpingectomia unilateral ou bilateral, que é um procedimento para retirada de uma ou de ambas as trompas de falópio.

Já a cirurgia de reconstrução mamária será ofertada para mulheres que tiveram que ser submetidas a mastectomia (retirada total de uma ou de ambas as mamas) por causa de câncer.

Vascular

Na área vascular, serão ofertadas 3.328 cirurgias para tratamento de varizes unilateral ou bilateral (em uma ou nas duas pernas) e para tratamento de lesões vasculares. O recurso para a realização desses atendimentos será de R$ 4.984.135,04.

Especialidade Total de Procedimentos Valor
Ginecologia 4.492 R$ 6.936.534,60
Vascular 3.328 R$ 4.984.135,04
Reconstrução Mamária 600 R$ 2.743.998,00
Total 8.420 R$ 14.664.667,64

 

Hospital
Santa Casa de Misericórdia de Vitória
Hospital Evangélico de Vila Velha
Hospital e Maternidade Dr. Arthur Gerhardt – Domingos Martins
Hospital Universitário Cassiano Antonio Moraes (Hucam) – Vitória
Hospital Nossa Senhora da Penha – Santa Leopoldina
Hospital Padre Máximo – Venda Nova do Imigrante
Santa Casa de Misericórdia de Cachoeiro de Itapemirim
Hospital Evangélico de Cachoeiro de Itapemirim
Hospital Evangélico de Itapemirim
Hospital Apóstolo Pedro – Mimoso do Sul
Santa Casa de Misericórdia de Colatina
Hospital São José – Colatina
Hospital São Marcos – Nova Venécia

 

Oftalmologia

Com o objetivo de reduzir o tempo de espera por cirurgias eletivas (aquelas que não são de urgência) oftalmológicas e possibilitar que mais pessoas tenham acesso a esse serviço, o Governo do Estado – por meio da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) – iniciou, nesta segunda-feira (02), mais um mutirão na área de oftalmologia. Serão ofertados 4.860 procedimentos para atender pessoas de todo o Estado com catarata e doenças de retina.

O mutirão vai atender pacientes que já passaram por consultas e exames especializados e receberam encaminhamento para realização do procedimento. Eles serão comunicados pelo município sobre a data do agendamento da consulta de avaliação com o cirurgião do hospital prestador do serviço. Nesta consulta, o paciente deve levar exames realizados anteriormente para que o médico analise e, se necessário, solicite exames complementares. As cirurgias serão feitas no Hospital Evangélico de Vila Velha com investimento de R$ R$ 4.861.337,80.

Os pacientes que ainda não têm diagnóstico para seu caso de saúde devem seguir o fluxo do Sistema Único de Saúde (SUS) para ter acesso ao tratamento apropriado. O cidadão deve ir até a unidade de saúde mais próxima de sua residência, ser avaliado pelo médico e encaminhado para o especialista. Após a avaliação do médico especialista, se for necessária cirurgia, o paciente será encaminhado para o hospital de referência para realização do procedimento.

A demanda por cirurgias eletivas oftalmológicas é uma das maiores no Espírito Santo, por isso a Secretaria de Estado da Saúde também promoveu um mutirão voltado para esta especialidade entre julho e dezembro de 2017, período em que foram realizadas 4.131 cirurgias. O investimento no mutirão de 2017 foi de R$ 6.115.058,99, sendo R$ 4.819.778,99 do Governo Federal e R$ 1.295.280 do Governo Estadual.

Outros mutirões

A Secretaria de Estado da Saúde também realizou mutirão de cirurgias eletivas na área de ortopedia e mutirão de reabilitação física em 2017. Com o mutirão de reabilitação física – realizado entre julho e dezembro por meio do Centro de Reabilitação Física do Espírito Santo (Crefes) – foram entregues 3.585 equipamentos (entre eles cadeira de rodas adulto e infantil, bengala, andador, muletas e calçados anatômicos) para pacientes adultos, jovens e crianças que já tinham indicação de uso e estavam aguardando a entrega do dispositivo.

Entre janeiro e outubro de 2017, foram realizadas 2.955 cirurgias ortopédicas eletivas no Hospital Estadual de Vila Velha, uma média de 295 por mês. Com isso, a fila para cirurgia de mão, procedimento para o qual o hospital é referência, foi zerada, e hoje o hospital atende de forma contínua os pacientes que chegam ao serviço.

Compartilhar

Deixe uma resposta

*