Justiça investiga fechamento de turmas no Lourdes Scardini

1
10480

Foi deflagrada na manhã desta quinta-feira, dia 04, uma operação da Promotoria de Justiça de Nova Venécia, com apoio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO). Estão sendo cumpridos pela Assessoria Militar junto ao Ministério Público, com o apoio da Polícia Militar, cinco mandados de busca e apreensão autorizados pela Justiça.

A operação, intitulada Jezabel, girou em torno da transferência de turmas do 6° ao 9° ano da Escola Lourdes Scardini para a Escola Adalton Santos. Na denúncia, feita pelo Ministério Público Estadual, está a suposta falsificação de documentos para que acontecesse a transferência das turmas.

Na época, a decisão não agradou os pais dos alunos, que protestaram em frente à Prefeitura. A Secretária de Educação alegou que a mudança foi feita para contenção de gastos, uma vez que havia vagas na Escola Adalton Santos, e com isso, o município iria economizar com o corte de alguns profissionais de designação temporária.

126 alunos foram remanejados para a escola Adalton Santos, criando novas turmas. Um estudo foi feito pela secretaria, que viu a necessidade de não ceder transporte escolar para os estudantes, uma vez que o bairro onde os alunos moram ficava a menos de 1 km da escola para onde foram transferidos.

Durante a operação desta quinta-feira, foram cumpridos mandados de busca e apreensão na Secretaria Municipal de Educação, na casa da secretária da pasta, na residência de uma funcionária da secretaria e na Escola Lurdes Scardini.

Também foi cumprido um mandado de busca e apreensão no município de Boa Esperança.

Na ação, foram apreendidos vários documentos, computadores e os aparelhos celulares dos envolvidos.

Ninguém foi detido durante a operação, mas serão intimados a prestarem esclarecimentos posteriormente.

O OUTRO LADO

A Secretaria Municipal de Educação de Nova Venécia, diante dos fatos ocorridos na manhã desta quinta-feira (4), informa que a Procuradoria Geral do município ainda não teve acesso a nenhum conteúdo do processo investigatório no qual se baseou a diligencia, estando assim sem os fundamentos necessários para se posicionar quanto às medidas que devem ser adotadas de imediato.

Esclarece ainda que em todas as instâncias o município está pronto a colaborar com a investigação, da forma que for necessária, para que os fatos sejam rigorosamente apurados e que, caso comprovadas as irregularidades denunciadas, serão tomadas medidas para restabelecimento da ordem prevista.

Compartilhar

1 COMENTÁRIO

  1. Kkkkkk, estudo da secretaria de educação em 5 dias… pergunte a um pai da escola…. a mídia esconde a verdade, vamos falar com as pessoas envolvidos (pais) , na epoca e divulgar a verdade.

Deixe uma resposta

*