Livro relata passagem de Dom Pedro II por Linhares

0
814
» Antonio Emílio mostra a obra, que conta com 285 páginas e revela a chegada do imperador ao Estado, pelo Porto de Vitória

O livro Viagem de Dom Pedro II ao Espírito Santo, de Levy Rocha, foi doado pela Biblioteca Pública do Espírito Santo à Câmara de Vereadores de Nova Venécia, e vai ocupar lugar nas prateleiras da biblioteca do legislativo veneciano, ainda não inaugurada.
A obra foi entregue ao presidente da Casa de Leis veneciana, Antônio Emílio (PPS), e aguarda, assim como os outros livros, a adequação de uma sala, que vai servir para consulta da população, sobre temas como antropologia, política, história e legislação.
Na coleção, já constam mais de 500 obras, todas doadas por diversos segmentos.

Dom Pedro no Estado
Nas páginas do livro Viagem de Dom Pedro II ao Espírito Santo, está narrada a viagem que o imperador fez a Linhares em fevereiro de 1860, chegando de canoa pelo Rio Doce. O nobre visitou a Lagoa Juparanã, escolas e lideranças do município, quando o local estava perto de completar 30 anos de emancipação.
A estadia do português no município linharense foi por cerca de quatro dias, é o que revela as páginas da obra, que também consta ilustrações feitas pelo próprio Dom Pedro. Circulando pela localidade a cavalo, o imperador foi embora de Linhares, depois de se deslocar de canoa novamente até outra parte do Rio Doce, próximo a Regência, e seguir viagem em um barco a vapor.
Ao total, consta no livro, que Dom Pedro II ficou durante os 15 dias – de 26 de janeiro e 9 de fevereiro de 1860 -, no Espírito Santo, chegando às terras capixabas de navio, desembarcando no Porto de Vitória e percorrendo partes do Estado a cavalo.
“É muito interessante a história de vida de Dom Pedro. Uma pessoa extremamente inteligente e preocupada. Visitou as localidades, a população e as lideranças”, disse ontem, Antônio Emílio.
Além de Linhares e Vitória, o imperador esteve em Itapemirim e em outras localidades do Estado.

O livro
Com 285 páginas, a edição do livro que consta nos arquivos da Câmara de Vereadores de Nova Venécia é uma realização da Secretaria de Estado da Cultura (Secult), em parceria com a Secretaria de Estado da Educação (Sedu). Já a primeira edição do livro de Levy Rocha foi publicada pelo Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro do Rio de Janeiro em 1960. A segunda edição foi editada pela Revista Continente, também do Rio de Janeiro, e pelo Instituto Nacional do Livro (INL) / MEC, de Brasília, em 1980.
Para construção da obra, o autor teve acesso ao diário que o imperador escreveu durante os 15 dias que passou no Espírito Santo. As escritas e desenhos para construção do livro, foram encontradas em manuscritos valiosos e inéditos no Arquivo do Museu Imperial, em Petrópolis, Rio de Janeiro.
O autor do livro, Levy Curcio da Rocha nasceu em 14 de março de 1916 no município de Muqui.

Deixe uma resposta

*