“Não formamos só pessoas para indústria, formamos sim, cidadãos capixabas’, diz Marcos Guerra

0
349
» Há sete anos na presidência da Findes, Marcos Guerra diz que vê possibilidade política no Congresso Nacional

O empresário colatinense Marcos Guerra, presidente da Federação das Indústrias do Estado do Espírito Santo (Findes), esteve na última terça-feira, 18, em Nova Venécia. Na oportunidade, concedeu entrevista especial para a Rede Notícia de Comunicações e falou sobre sua gestão e carreira política.
Empresário do setor industrial ha cerca de 35 anos, Guerra assumiu a presidência da Findes em 28 de novembro de 2011, entrando no lugar do empresário Lucas Izoton. Como suplente do ex-senador Gerson Camata, entre 2003 e 2011, chegou a assumir o cargo.Confira a entrevista concedida por Marcos Guerra para a Rede Notícia:
Projetos para a região
“Vamos conversar com alguns prefeitos, temos uma diretoria regional aqui, comandada pelo vice-presidente Carnieli (José Carnieli). Precisamos ver o que o Senai pode fazer para Nova Venécia e região. Estava comentando sobre a Placas Brasil, em Pinheiros. Fizemos um convênio gratuito com o Município, de R$ 290 mil, para trazer mão de obra, isso é uma realidade”.
Nova Venécia
“Nova Venécia é o Município principal da regional, composta entre Pinheiros, Boa Esperança, Mucurici, Ponto Belo, Vila Pavão, e Montanha. Aqui temos cursos e formamos mão de obra gratuita. Estamos praticamente em todos os 78 municípios do Estado, seja com agências de treinamento ou estrutura móvel. Para se ter ideia, temos uma estrutura dentro da Weg, em Linhares”.
Cozinha capixaba
“Não precisa ter indústria no local para chegarmos lá. Por exemplo, Alto Rio Novo não tem. Mas temos duas unidades móveis com cursos. Onde tem demanda, gente querendo se formar e qualificar, nossa presença é garantida nestes locais. Formamos desde a costureira, soldador, eletricista, bombeiro hidráulico, ao profissional de informática. Inauguramos uma escola móvel, denominada de Cozinha Capixaba, para ensinar as pessoas a fazer comidas com produtos regionais, principalmente a moqueca capixaba. Não temos como público alvo somente as donas de casa, pelo contrários. Empresas que queiram melhorar seus negócios também fazem parte. Trabalhamos com frutas e qualquer produto alimentício de nosso Estado. A verdade é que não formamos só pessoas para indústria, formamos sim, cidadãos capixabas”.
Futuro
“Meu mandato termina dia 29 de julho, estamos entregando o maior investimento da história da Federação das indústrias, quase R$ 300 milhões de investimentos. Saindo da presidência da Findes, sou ainda presidente do Conselho do Sebrae, presidente do Conselho de Meio Ambiente Nacional, sou vice-presidente da Confederação Nacional da Indústria, e depois disso, vou buscar um caminho para tentar ajudar o Estado de forma mais robusta, ainda não decidi, mas posso dar minha contribuição”.
Pré-candidatura
“Acho cedo para isso, mas gosto de política. Tudo que fiz foi voluntário, não recebo nada por isso. Mas pretendo dar minha contribuição na eleição de 2018. Acho que é cedo para falar qual posição, olho com muito bons olhos o Congresso Nacional. Entendo que existe uma lacuna muito aberta, temos bons parlamentares, mas vemos que podemos fazer muito mais para nosso Estado, principalmente na geração de emprego. Para ser um bom parlamentar você não precisa só olhar para seu Estado. Você precisa buscar, conquistar lideranças, fazer projetos. Eu vejo que tenho como contribuir”.

Deixe uma resposta

*