Pai procura por filha que não vê há nove anos

0
736
» Na única foto que a família tem da Lúcia (E), ela estava com as duas filhas

O morador de Nova Venécia, Ari Dávila, 88 anos, está à procura de uma das suas filhas, a Sequiluz Gonçalves Martins, mais conhecida como Lúcia, que há nove anos não tem informações dela.

Filha do meio entre 10 irmãos, de acordo com uma das irmãs, Judith Gonçalves Ferreira, a última vez que a família teve notícias da Lúcia, foi quando chegou uma carta dela do Rio de Janeiro. No papel, a veneciana contava que estava morando no município carioca, estava bem, e que tinha mais uma filha, já com quatro anos. “A menina mais velha dela nasceu aqui, e já estava com 14 anos nessa época”, diz Judith.

A carta citada por Judith chegou a Nova Venécia há cerca de seis anos, e desde então, foi a última vez que a família soube o paradeiro de uma das filhas do seu Ari. “O ex-marido dela veio embora, hoje ele mora em Vila Pavão e também não sabe dela. Pedimos a uma pessoa há um tempo atrás, para ir a esse endereço da carta, mas disseram que ela já havia mudado de lá”, fala Judith.

De acordo com ela, que hoje cuida do pai, a irmã também morou em Baixo Guandú e Vitória, e quando morava em Nova Venécia, residia no Córrego do Limão. Já o seu Ari continua residindo no bairro Margareth e adoentado, procura notícias da filha. “Ele fala demais nela, queremos encontrá-la, ele quer a abraçar e nós também”, diz.

No último contato da carta que Lúcia fez com a família, ela relatou que trabalhava como cuidadora de idosos e mandou uma foto com a filha, a única que a família tem hoje. “Eu não lembro o bairro que ela morava no Rio de Janeiro, não sabemos onde está a carta, mas peço que se alguém souber dela, nos avise, meu pai precisa vê-la”, conta Judith.

Seu Ari perdeu a esposa há sete anos, a Angela Gonçalves Ferreira, e hoje, o que mais quer é ver a filha. Quem souber informações da Lúcia, entrar em contato pelo telefone (27) 99942-1132.

Compartilhar

Deixe uma resposta

*