Para pressionar líderes, governo antecipa calendário da Previdência

0
11

DANIEL CARVALHO
BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) – O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), vai começar a discutir em plenário na próxima quinta (14) a reforma da Previdência.
Por falta de votos, o governo havia encerrado a semana marcando para o dia 18 o início das discussões.
Com isso, a votação em si é que começaria no dia 18, quatro dias antes do recesso parlamentar.
A intenção do governo é forçar líderes da base aliada a falar a favor da reforma. Com isso, a expectativa é aumentar o número de votos.
Se chegar ao fim de semana com um patamar seguro, Maia dará início à votação na semana seguinte.
O texto precisa de 308 votos em dois turnos para ser aprovado na Câmara, por se tratar de uma PEC (proposta de emenda à Constituição).
A contagem mais recente indicava 270 votos a favor da reforma. A meta do governo é conquistar os cerca de 40 votos necessários para a aprovação nas próximas semanas, com liberação de verbas e remanejamento de cargos.
Entre as medidas para agradar parlamentares -e que elevam os gastos públicos- estão repasses aos Estados, a liberação recursos de emendas parlamentares ainda não executados, além dos projetos de renegociação de dívidas com o fisco.
O governo ainda estuda devolver cargos a deputados que haviam sido punidos por votar contra o governo nos últimos meses.

Fonte: FolhaPress