Peão veneciano no rodeio de Barretos

1
8836
» Rodeio de Pirangi, no interior de São Paulo, em março deste ano, marcou um recomeço na vida do peão veneciano, Alex Venturini Siqueira

Começou nesta quinta-feira (15), a disputa do maior rodeio da América Latina, em Barretos, no interior de São Paulo, e Nova Venécia estará sendo representada.

O peão Alex Venturini Siqueira, de 33 anos, faz parte da equipe capixaba que irá disputar o Interestadual. Na noite desta sexta-feira (16), os representantes do Espírito Santo medirão forças contra o Paraná. A equipe que conquistar a etapa Interestadual, estará apta a disputa internacional, que começa na próxima quinta-feira (22). Entre uma competição e outra, acontece de segunda (19) a quarta-feira (21), a Liga Nacional, que reunirá campeões de várias etapas realizadas Brasil à fora durante o ano.

Além de Alex, o time capixaba é composto por Manoelito Júnior, Nilson Martins Júnior, Marim Vargas e Wagner Andrelino. E o veneciano garante que a equipe vem forte para a disputa. “Estamos muito confiantes e com o pensamento bastante positivo. Treinados, já estamos, agora, é tentar manter a calma para não dar nada errado. A equipe está boa e sabemos que temos chances”, disse.

Essa é a primeira vez que Alex irá representar o time do Espírito Santo em Barretos, porém, não será a primeira vez que ele participará do rodeio. Entre 2008 e 2013, ele se classificou para o evento através do ranking da PBR Brasil, mas ele garante que, agora, a emoção é diferente. “É a realização de mais um sonho poder estar representando o meu estado. É um orgulho muito grande”.

» “É a realização de um sonho”, diz Alex, por representar a equipe capixaba em Barretos

Capixaba de sangue e coração, o peão veneciano mora no Estado de São Paulo desde 2007, quando, assim como muitos, foi em busca do sonho de se tornar um grande montador. E deu certo. Logo no seu segundo ano em terras paulistas, ele conquistou a Expo Nhandeara, que ele considera a maior vitória da sua carreira. “Tive a oportunidade de montar em meio a grandes ídolos, pessoas que são espelhos para a minha carreira, mas pude competir de igual para igual e fui campeão”.

Além da Expo Nhandeara, outra importante conquista na carreira de Alex foi em Pirangi, também no interior de São Paulo, já neste ano. “Foi meu segundo rodeio depois de um grave acidente que sofri e já fui campeão. Um título muito importante para mim”.

Alex começou a montar em touros aos 16 anos, por inspiração do pai, que também era peão. “Ele sempre ia montar em rodeios e me levava. Com o tempo, fui pegando gosto pela coisa e não parei mais. Além disso, sempre morei em fazenda, tive muita proximidade dos bois. Isso também influenciou”.

Alex (E), e o irmão, Adílio (D), com o pai, José Carlos

Hoje, prestes a entrar na arena em Barretos, o montador revela que passa um filme por sua cabeça. “Carregamos um pouco de ansiedade, mas estou muito feliz de por representar meu Estado pela primeira vez. Está sendo muito bom”.

Mas para conter essa ansiedade, Alex conta com o apoio de Nova Venécia, na busca pelo título. “É muito importante o apoio dos amigos e da família. É uma força a mais que recebemos”.

Desta forma, o veneciano, de poucas palavras, vai em busca, a partir de hoje, de ficar os oito segundos em cima do touro e marcar seu nome na história de Barretos e levar o nome de Nova Venécia, mais uma, para o mundo.

Compartilhar

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta

*