Região Norte realiza mais uma etapa do processo de planificação

0
50
Foto: Fred Loureiro/Secom-ES

Nesta sexta-feira (13) acontece a 12ª Reunião do Grupo Condutor Regional da Planificação Norte. O encontro acontece como fechamento do Terceiro Ciclo de Tutoria e Oficina de Tutoria nas unidades-laboratório dos polos de Barra de São Francisco, Nova Venécia e São Mateus, que aconteceu entre a última terça-feira (10) e hoje (12), em Barra de São Francisco, Nova Venécia e São Mateus, e visa realizar uma avaliação sobre a semana, planejando como e quais serão os próximos passos. O grupo é formado pela SRSSM, por gestores dos 14 municípios e pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass).

As atividades fazem parte da segunda etapa do processo de planificação na região de Saúde Norte do Espírito Santo, e foram direcionadas ao coordenador da atenção primária à saúde, o coordenador de estratégia de saúde da família, o coordenador da saúde bucal, o farmacêutico responsável pela assistência farmacêutica municipal, o coordenador de vigilância em saúde, o coordenador das centrais de regulação municipal, toda equipe das três unidades-laboratório e as 24 referencias técnicas municipais dos municípios. Também estiveram presentes as equipes da Superintendência Regional e o facilitador do Conass. Cerca de 120 profissionais da saúde da região participaram dos encontros.

A primeira fase do processo de planificação na região norte foi aconteceu entre os anos de 2016 e 2017. A Planificação da Atenção à Saúde é um processo de planejamento que visa integrar a Atenção Primária à Saúde (APS) e a atenção especializada, mudando os processos de trabalho e as rotinas institucionais da atenção primária, que é a porta de entrada dos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), e da atenção ambulatorial especializada, que oferece consultas e exames especializados, integrando em rede esses dois níveis de atendimento.

O objetivo desses encontros na região é auxiliar na organização do atendimento ao usuário do sistema desde a unidade básica de saúde, observando como o cidadão é acolhido e quais devem ser encaminhados para atenção especializada, e como se dá o fluxo do paciente da atenção básica para a atenção especializada, além da organização dos processos de trabalho dentro das unidades básicas de saúde e da Rede Cuidar.

A superintendente de Saúde da Região Norte, Gilcilene Pretta Cani Ribeiro, explicou porque o processo de planificação na região norte continua, mesmo após o início do funcionamento da Rede Cuidar em Nova Venécia. “Tivemos, em 2016 e 2017, o primeiro ciclo, que foi concluído em novembro de 2017. Agora a região Norte está no segundo ciclo, em que estão previstos quatro encontros semanais no ano com a atenção primária. Nestes encontros são realizados tutorias nas unidades laboratório. Neste caso, estamos fazendo a terceira semana, ou seja, um processo de monitoramento de todo trabalho que vem sendo feito desde o início. Vamos monitorando e validando cada processo que vai sendo construído em cada unidade de saúde dos 14 municípios da região. Ele é um processo contínuo, e assim vamos consolidando novos processos de trabalho”, explicou.

Ela ressaltou que a região Norte está mais avançada no processo de planificação, e que a previsão é que até o final deste ano a programação do terceiro ciclo seja finalizada, para que o mesmo aconteça em 2019.

Pretta destacou ainda que paralelo ao processo de planificação, a superintendência também realizou a tutoria na atenção ambulatorial especializada que é realizada no ponto de atenção da rede de atenção que é a Rede Cuidar, em Nova Venécia.

“Em Nova Venécia estamos trabalhando o 10º momento de tutoria que é uma capacitação e monitoramento que acontece uma vez por mês durante três dias com os especialistas do Conass, com a equipe técnica da regional e com a equipe da atenção especializada contratada pelo consórcio Cim Norte”, frisou.

Nesta semana, as oficinas de tutorias nos três polos da região Norte – polo Barra de São Francisco, polo Nova Venécia e polo São Mateus -, foram trabalhados os instrumentos para avaliação do fluxo e o ciclo de atendimento das unidades básicas de saúde.

Compartilhar

Deixe uma resposta

*