Veneciana vence prêmio nacional escolar

0
910
» Premiação, que aconteceu em São Paulo, presentou Ívina Langsdorff, os alunos e a escola, com tablets

A veneciana Ívina Langsdorff Santana foi uma das vencedoras da 4ª edição do Prêmio Respostas Para o Amanhã, da Samsung, pelo projeto para diminuir o pó preto em Vitória, desenvolvido na instituição em que dá aula, a Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Almirante Barroso, que fica em Goiabeiras.
A premiação aconteceu nesta última terça-feira, dia 5, em São Paulo, e o projeto coordenado por Ívina, foi ó único vencedor da região Sudeste, em meio a outros cinco vencedores.
Professora de química, Ívina desenvolveu o trabalho “Despóluir” com 40 alunos do 2° ano do ensino médio. O primeiro passo foi diagnosticar o problema na comunidade, e depois, apresentar uma solução para ele.
“Tendo a produção de aço como principal atividade industrial, a Grande Vitória sofre com a poluição atmosférica, gerada pelo transporte de matérias-primas no trabalho com o aço. Diante dessa situação, os alunos organizaram-se para desenvolver supressores de poeira à base de polímeros sustentáveis, que reduzem a emissão de material particulado”, explicou a professora.
De acordo com a professora, durante produção do trabalho, foi realizada trilha ecológica, vídeos e visita a Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), onde já existe um projeto para a diminuição do pó preto.
“Desenvolvemos supressores a base de óleo e farinha de trigo, e nos testes, foi visto que o modelo é eficiente para redução da poeira de minério. Fizemos um abaixo assinado, protocolamos na Câmara Municipal de Vitória, pedindo às autoridades, que pressione a Vale a usar os supressores o quanto antes. A ideia foi premiada e estamos muito felizes”, diz.
A premiação presentou Ívina, os professores e a direção da escola com notebooks, e cada aluno envolvido no projeto, com um tablet, sendo 45 aparelhos ofertados. Os outros vencedores foram de Roraima, Pará, Alagoas e o Ceará, premiado com duas unidades educacionais.
“Acredito que seja muito importante para a valorização da educação pública, tanto para mim, que sou professora, quanto para meus alunos. Ganhar esse prêmio fez com que meus alunos acreditassem mais em si mesmos. A relação desses alunos com a cidade, a escola e meio ambiente mudou, e mudou para melhor”, relata.
Ívina já deu aula na Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Alarico de Lima, em Guararema, e na Escola Estadual de Ensino Médio Zeferino Oliosi, em Cristalino, ambas em Nova Venécia.

» Ívina desenvolveu o trabalho “Despóluir” com 40 alunos da rede pública de Vitória

Mais uma premiação hoje

Nesta sexta-feira, dia 8, a professora de química recebe mais um prêmio, o da Shell, desenvolvido com as paneleiras capixabas, onde foi desenvolvido projeto de melhorias no material utilizado nas panelas, causando menor impacto no mangue. O trabalho teve premiação em nível estadual, e foi idealizado com 35 alunos do 2° ano, na mesma escola que o projeto da Samsung. Ívina será presenteada com uma viagem para Londres, e R$ 3 mil.
“Estou numa escola periférica, em que a educação é o único caminho para uma vida melhor. Fico muito grata e feliz de poder proporcionar um projeto que faça esses jovens gostar mais da sua escola”, finaliza.

» Próxima premiação recebida por Ívina será hoje, sobre um projeto desenvolvido sobre as paneleiras capixabas
Compartilhar

Deixe uma resposta

*