Veneciano participa de mutirão da solidariedade em Brumadinho

0
1628

O veneciano Jorge Augusto Almeida, o Jorginho, esteve em Brumadinho, na Grande BH, para entregar alimentos e água para familiares das vítimas e equipes que estão trabalhando na tragédia.

Jorginho faz parte da Remar Brasil, uma instituição internacional de assistência social, que realizou a entrega de 600 quilos de alimentos e 500 litros de água mineral em Brumadinho.

De acordo com Jorginho, a arrecadação dos mantimentos foram feitas durante o final de semana, em supermercados de Belo Horizonte. “É desolador, a cena é de filme de terror, helicópteros sobrevoam o tempo inteiro trazendo os corpos pendurados em sacos. Os corpos chegam com muita lama e são colocados em caminhões frigoríficos de carregar carne. A equipe que trabalha usa máscara de gás. A visão é entristecedora. Dá uma sensação de impotência e de profunda tristeza”, diz.

O veneciano narrou à reportagem de A Notícia que, quando estava no local, presnciou as equipes de resgates trazendo grande quantidade de corpos que foram encontrados. “Fomos em cinco voluntários do instituto e agora vamos estudar a possibilidade de voltarmos, caso necessário”, comenta.

Jorginho relata que presenciou as lágrimas e o desespero de muitos familiares no local, que aguardavam notícias de seus parentes. “Estive no ponto onde eles esperam por notícias, a base fica a um quilômetro do mar de lama. É muita angústia, chorei por várias vezes. As crianças que perderam seus pais e as que chegam com familiares em busca de notícias, estão com voluntários em uma sala de recreação, é desolador”, explica.

O setor administrativo da Vale, restaurantes, casas e propriedades foram destruídos pela lama, local onde Jorginho esteve próximo. “Não tem nada mais, só tem lama, a comunidade foi devastada. Agora só restou o rio de lama e o mau cheiro dos corpos, que é muito forte no local”, lamenta.

Remar Brasil

Jorginho está na Remar Brasil há dois anos e há um ano terminou o tratamento que fazia para dependente químico, permanecendo na unidade como terapeuta voluntário.

A Remar Brasil tem como uma das vertentes, a Remar SOS, que presta assistência a vítimas de desastres, desabrigas e refugiados em todo mundo. A unidade tem sede em Contagem, que fica a 50 km de onde ocorreu a tragédia de Brumadinho. Jorginho e ocupa o cargo de terapeuta voluntário na unidade.

O rompimento da barragem da mineradora Vale ocorreu no início da tarde da última sexta-feira (25).

 

Compartilhar

Deixe uma resposta

*